Contrabando – Vale do Côa

.

2014

Antes da abertura das fronteiras, muitos dos que não emigraram encontraram no contrabando de alimentos, tabaco, café e minério, um modo de melhorar a difícil vida do campo.

Este segundo projecto com a Territórios do Côa é um jogo original de aventura e estratégia baseado em histórias que recolhi na fronteira portuguesa desde Mogadouro até ao Sabugal. Após recolher testemunhos em todos os concelhos, codifiquei a informação para o formato de jogo de tabuleiro. Surge assim um modo de experienciar as aventuras e truques do contrabando de outrora, em que pais, avós e netos percorriam quilómetros e quilómetros até um local escondido na vizinha Espanha. Surge um meio de comunicação de património que me parece de um poder extraordinário, quando produzido com um conceito coeso e mecânica desafiante.

Adoro jogos de tabuleiro pela sua dimensão social de interacção, mas também pela sua dimensão intelectual e exploração temática. Os jogos de tabuleiro evoluíram tremendamente desde o tempo do Monopólio, Trivial, Risco ou jogo da Glória. Hoje em dia são muito mais desafiantes e divertidos… por alguma razão 150 000 pessoas se juntam todos os anos em Essen, na Alemanha, na maior feira do sector! Settlers of Catan e Magic the Gathering abriram as portas deste universo à cultura pop. A minha modesta coleção de jogos pode ser vista aqui.

O jogo está disponível através da Territórios do Côa, ADR.

Jogo do Contrabando apareceu no “É a vida Alvim” – ver ao lado.

Quando a noite cai, do silêncio das aldeias saem homens e mulheres de sacos às costas que, escondidos pela penumbra, percorrem montes e vales para contrabandearem mercadorias para Espanha. Mas os Guardas Fiscais estão sempre de vigia, sabem encontrar pistas, e percorrem incessantemente os mesmos caminhos, em busca destes negociantes nocturnos. Achas que consegues chegar a Espanha!?